Posts recentes

Transforme A Sua Vida Com O Poder Da Aceitação

mindsoul-transform-life (Cópia)

 

Como buscadores espirituais mais cedo ou mais tarde temos que enfrentar uma determinada expectativa – quase uma trivialidade agora. – aceitar o que realmente está a acontecer connosco, render-se às circunstâncias, visto que essa rendição será a fundação do nosso desenvolvimento espiritual. A questão pode, no entanto, surgir em nós, se esta rendição e aceitação pode realmente constituir a base do nosso desenvolvimento espiritual?

A aceitação do que está a acontecer connosco num determinado momento significa que somos capazes de dizer “sim” para as coisas e circunstâncias que realmente aparecem na nossa vida. Aceitação, dizer “sim” pode, no entanto, ter dois fundos diferentes. Um desses fundos é que quando nós internamente dizemos “não” para o que está a acontecer connosco, mas o nosso comportamento e as reacções sugerem que nós de fato dizemos “sim” e aceitamos o que está a acontecer connosco ou ao nosso redor. Pode haver várias razões para isso: somos obrigados a fazer isso, uma sensação de impotência, ou um frio calculismo, uma crença de que a aceitação e a rendição nos ajudará na nossa busca espiritual. Mas a aceitação e a rendição desejada apenas trará mais sofrimento e infelicidade.

Uma outra razão para a rendição às circunstâncias é quando a aceitação das circunstâncias está enraizada na nossa liberdade interior. A nossa liberdade interior começa quando reconhecemos o passado psicológico de dizer “não”. É porque quando dizemos “não” para alguma circunstância da nossa vida, muitas vezes sentimos-nos livres e inteligentes. Acreditamos inconscientemente que dizer “sim” teria sido igual a submeter-nos nessa circunstância particular ou nas intenções de uma pessoa. Nesse caso, nós teríamos acreditado que as nossas liberdades foram reduzidas. O senso de inteligência é proporcionado pelo fato de que muitas vezes é preciso explicar quando dizemos “não”, com razões lógicas e complexas, ao passo que as respostas positivas são geralmente aceites pelo nosso ambiente sem mais explicações.

No decorrer da nossa vida, no entanto, a maioria de nós reconhece – através da experiência e à custa de muito sofrimento – que a liberdade de dizer “não” é uma mera liberdade virtual que apenas serve para reforçar o nosso Ego. Como Egos separados, muitas vezes esquecemos o fato básico da vida, que a existência é dialéctica ou seja, nenhuma alegria pode existir sem a tristeza e a felicidade não pode existir sem sofrimento.

Este esquecimento é, naturalmente, compreensível, uma vez que nos esforçamos para sermos felizes e aproveitar a vida, então corajosamente dizemos “sim” a estes, mas a nossa resposta ao sofrimento e a experiências desagradáveis é geralmente “não”. Este comportamento parece ser perfeitamente natural e humano.

Mas como poderíamos saber que estamos felizes num determinado momento sem nunca sentir tristeza nas nossas vidas? Será que estaríamos conscientes de que estamos alegres neste momento, quando nunca experimentamos tristeza? Prazer e dor, felicidade e infelicidade são igualmente partes da mesma coisa, eles constituem os dois lados da mesma moeda; Isso significa que, se não formos capazes de experimentar um lado, não seremos capazes de aprender sobre o outro. Se rejeitarmos a infelicidade, não vamos ter a oportunidade de experimentar a felicidade.

Somente quando formos capazes de reconhecer esta basicamente dupla natureza da existência, o fato de que a felicidade está enraizada na infelicidade, é quando a nossa liberdade interior nos permitirá dizer “sim” com prazer às coisas que estão a acontecer connosco.

Uma vez que tenhamos alcançado a capacidade de dizer sim, a nossa resistência interna às coisas que acontecem connosco também cessarão e, nos tornamos conscientes e alertas para o momento presente e, os eventos que emergem a partir desse momento. Aceitaremos prontamente tudo e qualquer coisa que o momento nos oferece, seja alegria ou tristeza, porque estaremos plenamente conscientes de que todas as peças fazem parte do mesmo jogo. Essa é a única maneira de permanecer calmo, aberto e pronto para aceitar as coisas e, desta forma, seremos recompensados com paz de espírito e a capacidade de nos concentrarmos.

Nesse estado de tranquilidade, a nossa atenção concentrada nos mostrará o que precisamos fazer no momento específico em questão. A nossa reacção, portanto, será uma acção inteligente. Somente a disponibilidade para aceitar as coisas, enraizadas da liberdade interior e render-se às circunstâncias pode tornar-se a base do nosso desenvolvimento espiritual

Fonte:

http://www.zengardner.com/transform-life-power-acceptance/

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: