Posts recentes

Os Contos Mais Bonitos da Mente

fairy-tale (Cópia)

 

Uma das principais funções da mente é criar histórias. A maioria dessas histórias são sobre nós, o que somos, o que estamos ou o que devemos fazer e o que acontecerá connosco no futuro. Caso formos buscadores espirituais, as nossas mentes estarão repletas de histórias sobre o caminho espiritual.

Os efeitos dessas histórias são muito semelhantes aos contos. Visto que nos identificamos profundamente com a nossa mente, por conseguinte acreditamos nessas histórias. Então, elas nos acalma e nos embala em belos sonhos espirituais. Vamos dar uma vista de olhos em alguns contos agradáveis e reconfortantes da mente e como acordar deles.

“Tu és especial” – Conto

Todo ser humano está convencido dentro de si que ele/ela é especial. Durante a viagem, a mente dominada pelo Ego continua a sussurrar no ouvido do buscador espiritual: “Tu és especial , tu és fantantisco, melhor do que as outras pessoas”!

Muitas vezes a mente dominado pelo Ego não declara isso tão abertamente, mas o desejo de tornar-se especial existe em cada buscador espiritual. Podemos observar no comportamento e nas ações do buscador espiritual; todos estes comportamentos visam a tornar o indivíduo melhor e diferente do resto e, a destacar-se da pessoa comum.

Quando acreditas na ideia “Eu sou especial, mais especial do que aquele homem acola,” esteja ciente de que trata-se apenas de um truque da mente. Esse sentimento reforça o Ego de forma muito substancial. A verdade é que cada pessoa é individual e especial. Nunca houve e nunca haverá outra pessoa na Terra como você!

Não deves esquecer que, quando te consideras especial – então tu realmente és – porém, deves pensar do mesmo modo sobre as outras pessoas. Todo mundo que conheceste durante a tua vida, todos que viveram e vivem na terra, são especiais.

  1. “Tu és importante” – Conto

girl-797837_1920 (Cópia)

 

A forma de pensar da mente dominada pelo Ego é, na maioria dos casos, capaz de nos fazer acreditar que somos importantes, mesmo que seja apenas como uma pequena parte da grande Consciência universal da humanidade. A nossa alma viverá para sempre e, a morte é apenas uma estação necessária no processo de um novo nascimento. A nossa alma cresce eternamente, cada pedaço da nova experiência é mais um tijolo na parede da Igreja da eternidade etc. Porque que a mente dominada pelo Ego é capaz de nos fazer acreditar nisso?

Em parte, isso deve-se porque o conteúdo da mente consiste do conhecimento adquirido em nossa vida (ler, ouvir). O indivíduo que nunca leu livros esotéricos ou nunca tenha partecipado em palestras esotéricas tem uma mente com um conteúdo completamente diferente e usa as suas ideias de forma diferente como uma fonte de consolo (ex. Comamos, bebamos, façamos amor, porque só vivemos uma vez, portanto Carpe Diem).

Outra razão é que a “memória primitiva” vive em todos nós. A “memória primitiva” vem do nosso próprio centro interno há muito esquecido e, na maioria dos casos é apenas um desejo do subconsciente, uma ansiedade constante na alma do buscador espiritual. A mente dominada pelo Ego fornece uma forma para o desejo inconsciente guiando-o para um falso objectivo. O falso objectivo consiste na ideia de tornar-se perfeito juntamente com o Ego. A mente dominada pelo Ego, naturalmente, pretende alcançá-lo no futuro, uma vez que precisamos crescer muito antes de alcançar o objetivo.

Este é um esforço sincero da mente dominada pelo Ego, mas é impossível alcançá-lo no nível das formas; Não é possível fazer com que as formas sejam eternas. Portanto, não podemos permitir que este jogo da mente nos engane. Do ponto de vista da existência somos realmente importantes (e nisso não estamos enganados) em nossa individualidade, a medida que fornecemos espaço para a Consciência acordar para a sua própria existência e florescer através de nós, através da nossa própria forma.

A perfeição é, no entanto, não deve ser procurada no futuro, visto que somos totalmente capazes de vivê-lo aqui e agora, se nos abandonarmos no momento presente e permitirmos que o prazer da existência nos leve consigo.

  1. “A Culpa Não é Tua” – Conto

girl-878276_1920 (Cópia)

 

A mente dominada pela Ego adora culpar sempre as outras pessoas. A mente dominada pelo Ego julga a vida de acordo com uma situação específica. A culpa é sempre de outra pessoa: da esposa ou marido, dos pais, filhos, colegas, do chefe, da situação económica, até da própria vida etc.

Quando uma pessoa pretende alcançar a Presença, ele ou ela acreditará que a mudança não é possível no momento. Talvez mais tarde, no futuro, quando as circunstâncias forem mais favoráveis. Em seguida, podem tentar viver de forma mais consciente. Estas são, no entanto, apenas desculpas, para que a pessoa não tenha que enfrentar a verdade: Eu sou responsável por mim e, ninguém mais é!

A partir do momento que aceitamos a verdade que somos responsáveis pelo nosso próprio sofrimento e, ninguém mais é!, a pessoa em questão seria capaz de acabar com o sofrimento e esquecer o feitiço deste jogo da mente.

Fonte:

http://powerofconsciousness.blogspot.fr/2015/10/the-most-beautiful-tales-of-mind.html#more

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: