Posts recentes

‘A Grande Destruição’: Nova Elite Brasileira Afoga-se em Alegações de Corrupção

tamer

Michel Temer acompanhado por aliados Renan Calherios, Romero Jucá e, Henrique Meirelles

O novo governo do Brasil está em apuros. Semanas depois da sua tomada de posse, na pendência de acusações de impeachment contra a Presidente Dilma Rousseff, o Presidente interino Michel Temer e o seu gabinete estão afogados nas suas próprias alegações de corrupção. O diplomata brasileiro Paulo Almeida disse à Sputnik, que infelizmente, o pior ainda está para vir.

Na semana passada, o escândalo em torno do novo governo do Brasil piorou, depois da imprensa local ter revelado que Michel Miguel de sete anos de idade, filho do Presidente interino, Michel Temer era proprietário de pelo menos, dois escritórios num bairro rico de São Paulo no valor de mais de US $ 570.000. O jornal Estado de São Paulo, que fez a descoberta, informou que a explicação oficial de Temer foi que, ele fez a “doação” para o seu filho como uma forma de “antecipar a herança do pequeno Michel.

Segundo o jornal, os bens patrimoniais oficiais de Temer, aumentaram rapidamente entre 2006 de um valor estimado de US $ 650.000 para US $ 2,14 milhões, quando concorreu para o Congresso pela última vez em 2014, quando era vice de Dilma Rousseff durante a sua campanha de reeleição. Isso sem contar os bens detidos pelo pequeno Michel e os seus outros filhos.

E este não era o único escândalo em torno do Pequeno Michel; o menino de 7 anos foi encarregado de escolher o logótipo do novo governo, causando um pequeno tumulto entre os brasileiros, que já estão furiosos sobre os movimentos do governo interino de reverter mais de uma década de avanços sociais por parte do Partido Trabalhista.

E isso não é o único escândalo que abala o novo governo.

Num toque de ironia, o Ministro da Transparência, Fiscalização e Controle Fabiano Silveira, responsável pela luta contra a corrupção, foi forçado a renunciar na semana passada, apenas 16 dias depois de assumir o cargo, após a divulgação de uma conversa telefónica expô-lo a oferecer conselhos para o líder do Senado, Renan Calheiros sobre como sabotar o chamado escândalo de corrupção “Lava Jato” que derrubou uma série de funcionários brasileiros ao longo dos últimos meses.

A sua demissão em desgraça seguida pelo ministro do Planejamento, Romero Jucá, que renunciou o cargo no mês passado sobre a divulgação de uma outra conversa telefónica, desta vez discutindo como colocar Temer como no comando do país. Essas gravações de áudio levaram a acusações de que o novo governo havia efectivamente derrubado Dilma Rousseff num golpe.

Falando à Sputnik sobre os problemas que o país e a sua elite política enfrenta, o sociólogo Brasileiro e diplomata de carreira Paulo Almeida advertiu que juntamente com a corrupção, o problema central que o Brasil enfrenta hoje é a possibilidade de uma grande depressão.

“Hoje, não é só a corrupção política dentro do Congresso ou do governo, o problema é que a economia brasileira está no meio de uma grande recessão e, que provavelmente, se transformará numa grande depressão.”

Almeida culpou a recessão nas comodidades do crescimento dos últimos anos, gastos excessivos e falhas nas políticas económicas.

“Eu chamaria toda a situação actual ‘a grande destruição’,” advertiu Almeida. “Tivemos a Grande Depressão na década de 1930 … hoje estamos assistindo o início da grande destruição do Brasil … Além do lado político do processo de impeachment, estamos vivendo uma grande recessão”.

Quanto ao impeachment de Dilma, o sociólogo ressaltou que, formalmente, “Rousseff foi acusada de apenas dois crimes; um, era o de desrespeitar o nosso orçamento; há uma lei sobre o orçamento e, ela ultrapassou. E ela também autorizou por decreto, muitos gastos fora do orçamento. Essas são as únicas duas coisas que ela tem sido acusada pela comissão especial do Senado e, deverá ser julgada em Agosto ou Setembro.”

Almeida insistiu que o processo de impeachment era a única ferramenta constitucional que o país tem, mas não indicou chances da presidente suspensa de recuperar os seus poderes.

Na semana passada, o senador Gleisi Hoffmann disse à Sputnik que o novo governo e as suas acções eram um “desastre”, acrescentando que Temer e a sua equipa “não estão preparados para governar o Brasil.”

 

Fonte:

http://sputniknews.com/latam/20160604/1040787971/brazil-corruption-economic-crisis-commentary.html

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: