Posts recentes

Brinquedos Sexuais, Sexo Oral & Anal, Agora Fazem Parte do Programa de Educação Escolar Alemão Para Combater A Homofobia

57683170c36188530c8b45a8

© Vincent Kessler / Reuters

Sexo anal, sadomasoquismo e brinquedos sexuais devem ser conhecidos pelos alunos alemães através da “representação teatral”, palestras ou seminários, de acordo com materiais de ensino promovidos por um projecto anti-homofobia apoiado pelo Estado.

Os adolescentes de catorze anos de idade da Renânia do Norte-Vestfália (NRW), o estado mais populoso da Alemanha, podem vir a ter aulas de sexo anal, sadomasoquismo e fazer uso de brinquedos sexuais, incluindo vibradores, já no próximo ano lectivo, de acordo com o jornal Die Welt.

Tudo isso faz parte de um projecto excêntrico chamado “Escola da Diversidade”, dirigido em conjunto pelo Ministério da Educação Regional e uma série de grupos de defesa dos LGBT para “reflectir sobre temas tabu, mas muito relevantes [ para adolescentes ]”, bem como para promover a diversidade e tolerância na sociedade alemã.

Proposto para crianças que frequentem o 7º ano, o projecto visa introduzir matérias que lidem com argumentos como a “ejaculação precoce“, “orgasmos“, sadomasoquismo e até mesmo “salas escuras” – lugares normalmente encontrados em casas nocturnas, saunas para gays ou clubes de sexo onde podem acontecer relações sexuais de grupo entre pessoas de sexo diferente ou do mesmo sexo.

As palestras e seminários da “Escola da Diversidade” também ofereceriam aos alunos a oportunidade de explorar “diferentes possibilidades de identidade“, bem como ter “novas experiências” – particularmente, simulando sexo oral e usando vibradores ou simuladores vaginais em “representação teatral

Os materiais didácticos que descrevem as actividades controversas, são oferecidos sob títulos bastante decentes, como “exame divertido do amor e da sexualidade” ou “Termos relacionados com o amor, sexualidade e parceria“, relatou o Die Welt.

“Os jovens precisam de apoio para aceitarem a sua orientação sexual”, lê-se na página oficial do projecto, no site do Ministério da Educação NRW.” A aceitação de gays e lésbicas tem que se transformar em auto-estima … E a diversidade da sociedade tem um impacto positivo no processo democrático.”

Ao mesmo tempo, o projecto é criticado por alguns políticos, incluindo aqueles, que fazem campanha pelos direitos das minorias sexuais.

O respeito pelas minorias sexuais não deve vir em detrimento do “sentimento de vergonha” que ocorre de forma natural nos adolescentes, Yvonne Gebauer, que conduz um projecto anti-homofobia no conselho municipal da cidade de Colônia disse ao jornal Die Welt. “Os adolescentes de doze anos de idade não devem ser autorizados a brincar de ter orgasmos ou brincar nas “salas escuras” nas salas de aula”, isso para promover a tolerância, ela argumentou.

Gebauer foi apoiada pelo Comissário do governo federal da Alemanha sobre o abuso de crianças, Johannes -Wilhelm Roerig, denunciou o uso de alguns dos materiais de ensino, promovidos pela “Escola da Diversidade”, como algo que “vai além de toda razão” e “inaceitáveis”.

“Os rapazes e as raparigas, que se acostumaram a ultrapassar os limites e que portanto, são insensíveis, podem ser presas fáceis para abusadores de crianças, avisou  Roerig.

Projectos semelhantes que também reivindicam promover o respeito para com as minorias foram recebidas com forte oposição por parte da comunidade.

Em Fevereiro deste ano, cerca de 4.500 pessoas invadiram as ruas de Stuttgart para protestar contra um novo currículo definido para enfatizar a diversidade sexual. O rali foi recebido por uma contra-manifestação e resultou em violentos confrontos com a polícia local. No ano passado, dezenas de moradores de Hamburgo fizeram um protesto sob um slogan “Fiquem longe dos nossos filhos” no intuito de opor-se contra a “sexualização precoce” nas escolas alemãs.

Em 2014, mais de 80.000 pessoas no sul da Alemanha assinaram uma petição online contra um plano para ensinar as crianças sobre os estilos de vida LGBT na escola – uma iniciativa apresentada para promover a tolerância para com as minorias sexuais.

Na Alemanha, a educação sexual é obrigatória para alunos com idades a partir dos oito anos e, abster-se por razões religiosas ou culturais é geralmente proibido.

 

Fonte:

https://www.rt.com/news/347530-germany-sex-education-homophobia/?utm_source=browser&utm_medium=aplication_chrome&utm_campaign=chrome

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: