Posts recentes

O Povo Serpente

7441-copiar

Em todo o mundo, há muitos exemplos de povos antigos que adoravam a SERPENTE. E tinham muito orgulho em fazê-lo.

Muitas lendas falam do “Povo Serpente”.

Por exemplo, haviam os Nagas, da Índia e os Amaru da América do Sul e, até mesmo alguns dos deuses do Vale do Indo (que se tornaram naquilo que conhecemos como a Cultura Hindu) – acreditava-se que eles assumiam forma humana ou reptiliana a seu belo prazer. O Povo Serpente era uma raça muito inteligente.

As lendas também relatam que essas pessoas notáveis, refugiaram-se para as covas da Terra e criaram cidades subterrâneas em todo o mundo. Diz-se que eles continuaram a fazer aparições para a humanidade em certas ocasiões. Há também muitas representações de serpentes na cidade sagrada de Teotihuacan no México.

O Deus dos antigos Maias a serpente emplumada era Kulkulkan (Kukulkan).

Existem representações de serpentes por toda a Mesoamérica, Astecas, Toltecas e lugares Maias.

Há forte evidência de que os Astecas, Maias, Toltecas, Incas e outros adoravam o mesmo deus, conhecido por diferentes nomes, como,

  • Viracocha
  • Kukulcan (Kulkulkan)
  • Gugumatz
  • Quetzalcoatl,

… e até mesmo por outros nomes que não são mencionados aqui.

No “Códice Chimalpopoca”, o livro das lendas, consta que os Astecas adoravam o deus serpente Quetzalcoatl, que viveu com os índios durante 52 anos e foi o seu professor.

O seu lindo nome é traduzido como “Serpente de características preciosas”, “Serpente Emplumada” ou “Serpente Verde-Emplumada”. Ele era alto, de pele clara, com cabelo e barba loira. As pessoas doentes costumavam visitá-lo porque ele podia curar a cegueira, doenças de pele e doenças oculares.

No “Códice Chimalpopoca” está escrito:

“E acreditavam muito no seu sacerdote Quatzalcoatl. E eram extremamente obedientes e determinados às coisas do seu deus e temiam a deus e todos acreditavam em Quetzalcoatl quando ele deixou Tula …

(De: “Vozes de Épocas Legendárias“, Ellen Lloyd)

O benevolente deus-serpente Quetzalcoatl é o deus-serpente emplumado que trouxe os benefícios para a civilização mexicana e ensinou a ciência da matemática e astronomia ao homem.

Ele aprendeu as artes úteis dos seres humanos e ordenou-lhes para amar e respeitar uns aos outros e rejeitar a violência.

Em todo o mundo, no Velho México, os Toltecas erguiam grandes templos em honra do seu Deus Branco, que os inspirava. As pessoas da Mesoamérica acreditam que Quetzalcoatl, o deus serpente, voltará para governar todos os planetas.

Quetzalcoatl, “o Deus branco” era conhecido pelos Choroteganos, que viviam no que é agora Nicarágua e Norte da Costa Rica como o deus Tamagastad. No século XVII o Popol Vuh foi descoberto pelo Padre Ximinez e estabeleceu a filosofia indiscutível dos Maias que adoravam o Deus “Único” como um mensageiro impessoal e adorado do Sol, Quetzalcoatl.

Os Maias ainda esperam o regresso de Quetzalcóatl, assim como os Hindus aguardam o 10º avatar de Vishnu e os Cristãos esperam o regresso de Jesus Cristo. Na América do Norte, as serpentes estão profundamente enraizadas nas culturas Indígenas nativas. O símbolo da serpente domina a arte dos índios Hohokam. O seu local é a famoso Snaketown, no Arizona, datando de 400 BC a 1200 AD.

Devemos também lembrar que uma cultura desconhecida deixou um enorme montículo em forma de serpente em Ohio.

O país conhecido como Haiti tem inúmeras lendas muito antigas, relacionadas com as serpentes. Os povos nativos do vodu acreditam num deus chamado Damballah Wedo e na sua imagem de serpente. Damballah Wedo é a Grande Serpente, o Criador do Universo, Céus e da Terra.

Como diz uma tradição  vodu sobre a inundação,

“A Serpente enviou águas sobre a Terra, o Arco-íris surgiu e a Serpente aceitou o arco-íris, chamado Ayida Wedo, como sua esposa”.

Na Austrália, os povos aborígenes preservaram muitas lendas da serpente nos seus mitos “Tempo do Sonho” da criação do nosso planeta.

Na Austrália central, existem desenhos antigos da Serpente Arco-íris. Ela criou montanhas, rios e pessoas enquanto viajava da costa norte.

Os astronautas (antigos astronautas ) que desciam das estrelas para ensinar a humanidade eram conhecidos pelos povos antigos como os dragões ou povo serpente. As serpentes eram adoradas pelos lemurianos e atlantes. A serpente era um símbolo de sabedoria divina. Mais tarde, este culto transformou-se em culto da serpente entre os povos nativos de todo o mundo.

Sarpa era o termo sânscrito original para uma cobra ou serpente, enquanto naga, também significa uma cobra ou serpente.

No Budismo, a sabedoria sempre esteve relacionada simbolicamente com a figura da Serpente. Na Tradição Ocidental pode ser encontrada da mesma forma que foi usada pelo Cristo no Evangelho, de acordo com São Mateus 16:

“Eis que vos envio como ovelhas no meio dos lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e, inofensivos como as pombas”.

O panteão Indiano Oriental está conectado com o Espírito da Serpente e o Espírito do Dragão.

Tem uma equivalência aos Nats birmaneses, ou deus-serpente. Na Índia e no Egito e, até mesmo na América Central e do Sul, o Naga representa um sábio. Na China, o Naga tem a forma de um Dragão e tem uma associação directa com o Imperador e é conhecido como o “Filho do Céu”.

Acredita-se mesmo que os chineses tiveram origem dos demi-deuses Serpente e podiam até mesmo falar a sua língua, Naga-Krita.

A serpente era adorada no:

  • Egito
  • Suméria
  • Índia
  • China
  • Peru
  • Mesoamérica
  • América do Norte
  • Grécia
  • Grã-Bretanha
  • E muitos outros países, praticamente todo o mundo…

A cobra / serpente é um símbolo da imortalidade e pode ser encontrado em monumentos, artefactos grandes e pequenos. Significa poder, renascimento, sabedoria, força e protecção.

Infelizmente, a Igreja Católica apresentou a imagem e o significado errado deste grande símbolo.

Vale a pena considerar … a sua imensa importância e legado no nosso planeta.

Fonte:

http://www.bibliotecapleyades.net/sumer_anunnaki/reptiles/reptiles55.htm

***********************************************************************

transferir Graciano Constantino oferece tratamentos de Cura Energética. O tratamento pode ser feito pessoalmente ou a distância, normalmente através do Skype ou se preferir basta simplesmente uma foto recente de modo a facilitar a conexão. Actualmente vivendo em Turim – Itália, Graciano dedica uma parte do seu tempo na arte da cura, trabalhando com plantas e também animais. Saiba mais sobre Graciano Aqui

Para saber mais sobre a técnica visite: Cura de Pura Energia

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: