Posts recentes

Betty Shine – Médium e Curandeira Espiritual

bettyshinebooksuse

Betty Shine era uma talentosa médium, espiritista e curandeira da Inglaterra. Nasceu em 1929 e morreu em 2003 aos 73 anos. Antes de embarcar nas suas carreiras de cura e clarividência, ela cantou profissionalmente. Às vezes, ela também mergulhava-se na terapia de vitaminas e minerais, bem como na análise médica da mão. Ela também ensinou yoga.

Quando ainda era uma criança Betty teve muitas experiências psíquicas. Havia uma voz masculina que falava frequentemente com ela e daí ela assumiu que todos faziam a mesma coisa. Ela percebeu que este não era o caso quando comparou as notas com um amigo.

Betty Shine sofreu durante muitos anos com crise de asfixia, tontura e palpitações. Os médicos eram incapazes de ajudá-la na sua situação. Temendo que pudesse morrer, ela visitou um famoso médium chamado Charles Horrey. Charles Horrey disse a Betty que ela seria uma curandeira e que os ataques eram causados por uma acumulação de energia não utilizada. Ele disse a Betty que uma vez que ela iniciasse a curar as pessoas, os seus problemas de saúde melhorariam e, assim aconteceu. Ele disse que ela também seria uma óptima médium.

À medida que o seu trabalho de cura se expandia, Betty Shine era capaz de ver a energia da mente, que ela descrevia como um halo assim como retratado nos tempos bíblicos. Ela atribuiu vários exercícios mentais para ajudar os seus clientes a melhorar a sua energia mental e, portanto, melhorar a sua condição. Se um cliente estivesse deprimido, a sua energia mental entraria na sua cabeça em forma de funil. À medida que as suas sessões de cura continuavam, essa energia mudava de forma e começava a irradiar como uma mente saudável.

Betty Shine escreveu muitos livros durante a sua vida, três que eu tenho enfatizado sobre a importância de usar a sua energia mental para ajudá-lo a alcançar o que você quer nesta vida. Ela encoraja as pessoas a usarem a sua energia mental e as suas habilidades de visualização para conseguir o que quiserem. Ela também editou um livro com todos os exercícios dos seus livros anteriores para unir a mente, corpo e espírito.

A primeira coisa que eu tentei, assim como recomendado por Betty Shine, foi a tentativa de cura a distância. Betty sugeriu que imaginasse que tivesses as tuas mãos nos ombros dos receptores e que então pedisses que fosse enviada cura para o paciente. Você se concentra na pessoa durante cerca de cinco minutos pedindo cura para tudo que perturba a pessoa. Ao iniciar a sessão de cura visualize a pessoa, diga o seu nome e onde mora (cidade), em voz alta ou para si mesmo e, comece a cura.

Quando Betty ficou conhecida, as pessoas que pediam cura a distância cresceram em proporções enormes. Ela escrevia os seus nomes em pedaços de papel e pedia cura para todas as pessoas nomeadas, ela fazia isso duas vezes por dia.

Este é um outro exercício para aliviar o stress. Encontre um quarto tranquilo e agradável e deite no chão e feche os olhos. Se o quarto for alcatifado, melhor. Feche os olhos. Respire profundamente três vezes. Tente respirar pelo nariz para que o ar faça um ligeiro som sibilante quando respirares. Retenha a terceira respiração o maior tempo possível e deixe-a sair em pequenos sopros. Ao fazer isso, você sentirá a energia circulando por todo o corpo e você começará a sentir-se aquecido. Também poderás sentir um pouco de vertigens, se assim for, não retenha a respiração por muito tempo na próxima vez. Repita três vezes. Agora visualize a energia acumulada debaixo do seu corpo, pouco a pouco, até que seja uma massa concentrada. Quando fores bem sucedido com esta parte do exercício, siga em frente. Neste momento sentirás como se estivesses a levitar e, que estás num estado de sonho. Esqueça tudo e desfrute cada minuto. Fique com essa sensação.

Quando Betty Shine começou a curar, ela ainda estava a trabalhar, mas com o passar do tempo Betty desistiu do seu trabalho para curar a tempo inteiro e isso muitas vezes fazia que ela trabalhasse durante a noite. À medida que as suas habilidades de cura aumentavam, a sua mediunidade também aumentava. Durante as sessões de cura, ela transmitia mensagens de entes queridos às pessoas que recebiam cura. Às vezes ela sentia a necessidade de usar a hipnose nos seus clientes e, embora ela nunca tivesse estudado hipnose essa habilidade surgiu na sua vida quando foi necessário.

Betty Shine era uma mulher incrível, que curou muitas pessoas durante a sua vida. As pessoas que ela não podia curar, ela foi capaz de aliviar alguns dos seus sintomas. O seu estudo da energia mental fascinou-me muito até ao ponto que decidi praticar alguns dos seus exercícios e também para aprender a curar-me.

5337283_f520

Betty Shine tem um problema curioso em jantares. Invariavelmente, alguns convidados estão relutantes em sentar-se ao seu lado, porque pensam que ela vai ler as suas mentes. – Bem, antes de mais nada, não estou interessada em ler as vossas mentes sangrentas – diz a Sra. Shine, renomada clarividente, médium e curandeira espiritual, com um sorriso cordial. “A outra coisa é que, eu não posso fazer isso.”

Os livros de Betty Shine Mind to Mind, publicado em 1989 e, Mind Magic, em 1991, tornaram-se bestsellers instantâneos, durando um total combinado de 19 semanas na lista Top 10 do Sunday Times.

Estes foram seguidos pelo volume final da sua trilogia de “Mente”, Mind Waves, publicado pela Bantam Press.

A Sra. Shine, uma ex-cantora de ópera, animada, prática, marcadamente excêntrica, acredita que ela é mal interpretada. Ela reclama que a maioria dos jornalistas escreve sobre pessoas como ela como “médiuns de feiras. . . que repetem as mesmas velhas coisas, o mesmo cepticismo”, os mesmos comentários, ela diz, que os cientistas não são capazes de provar que ela realmente faz o que ela pode fazer.

Quando mencionei que os leitores deste jornal provavelmente também estarão entre os cépticos, ela sublinha que os seus dois últimos livros sobre o assunto provocou uma avalanche de cartas positivas, acrescentando com um sorriso irónico: “Eu odiaria acreditar, que todas aquelas dezenas de milhares de pessoas que me escreveram, nenhuma delas lê o jornal Independent“.

O cepticismo é o ponto de partida para um caso ilustrativo que a Sra. Shine relata no seu último livro, sobre um casal bem-sucedido e bem-educado em Londres e o seu filho Alex. Uma vez um menino extremamente inteligente e saudável, há três anos atrás, foi atingido, aos nove anos por uma forma grave de encefalite – inflamação do cérebro, ou “doença sonolenta” – que o deixou em estado de coma. Os médicos não tinham manifestado nenhuma esperança para a sua sobrevivência e tinham dado o sombrio prognóstico de três meses de vida.

O casal estava disposto a tentar qualquer coisa. “Eu desafio qualquer pai nessa situação a não tentar absolutamente qualquer coisa”, diz Felicity. – Tudo o que lhe interessava era manter o seu filho vivo. Estávamos desesperados.

Enquanto Felicity estava entre aquelas pessoas dispostas a falar comigo sobre as suas experiências com a Sra. Shine, ela fez isso com alguma relutância. Sendo profissionais, tanto Felicity e Jeremy estão preocupados, de forma bastante compreensível, sobre o que os seus clientes e colegas podem pensar. Eles ainda estão abalados pelos eventos que se seguiram ao contacto com Betty Shine.

Ao ler a sua carta, a Sra. Shine meditou por alguns minutos e recebeu uma “instrução”, como ela descreveu, de falar telepaticamente com Alex, que estava num hospital a 50 quilómetros de distância. Em poucos segundos, ela afirma, que o menino contou-lhe um incidente sobre o seu peixinho dourado antes de ele ter ido no hospital.

A sua mãe tinha colocado temporariamente o peixe numa tigela pequena enquanto desinfectava o tanque com água quente. Jeremy, sem saber o que estava a acontecer, entrou, viu o peixe, sentiu pena deles nadando na tigela e voltou a colocá-los no tanque, matando-os instantaneamente. Alex ficou profundamente consternado com isso.

A Sra. Shine telefonou para o número que recebeu na carta e Felicity respondeu. Ela contou a Felicity a história que acabara de receber telepaticamente do Alex. Felicity não podia acreditar no que estava a ouvir. “Somos pessoas bastante racionais e, nunca tínhamos estado envolvidos em algo parecido com isso.”

Ela tentou racionalizar o que tinha ouvido. A maioria das crianças da idade de Alex tem peixe, pensou ela – poderia a Sra. Shine simplesmente ter feito uma boa suposição? Não, os detalhes eram muito específicos.

Com intrigas guardadas e ainda muito cepticismo, embarcaram com a Sra. Shine num ano de cura espiritual para o seu filho.

Um fluxo constante de conversa de Alex para os seus pais retransmitida através da Sra. Shine foi um bónus inesperado. A Sra. Shine diz que, embora a “leitura da mente”, como tal, não faça parte do repertório de um médium, ela foi capaz de se comunicar com Alex telepaticamente porque as suas habilidades especiais incluem receber mensagens “de outra dimensão”. (Ou, simplesmente, ela pode conversar com os mortos. Ela, às vezes também pode ver, brincar com eles e segue as suas instruções quando eles estão ajudando-a com a cura.) No estado comatoso de Alex, ela explica, (Era) cerca de 95% fora do corpo “e estaria” ligando “com mentes em outra dimensão.

Alex sabia que tinha de dar à Sra. Shine muita informação concreta e factual que pudesse ser verificada – o tipo de coisas, observa Felicity, que a Sra. Shine não poderia saber e que sempre foram exageradamente precisas – para convencer os seus pais de que ele estava realmente a se comunicar com a Sra. Shine.

De acordo com a Sra. Shine, “mentes de outra dimensão”, que, segundo ela, é o que sobrevive após a morte, estão disponíveis para nos ajudar quando mais precisamos delas. Quanto à cura espiritual, ela afirma ter a capacidade de diagnosticar a fonte de um problema – às vezes em conflito com a opinião médica – por apenas olhar para uma pessoa, bem como a facilidade de afectar, em muitos casos, através de uma grande quantidade de cura, se a grave deterioração ainda não estiver estabelecida.

A Sra. Shine explica que se um corpo deteriorou-se muito, como no caso de Alex, há um limite para o que ela pode fazer. No entanto, ela está confiante de que podia invariavelmente fazer algo para ajudar.

Um factor que contribuiu para as dificuldades de Alex tinha sido grande quantidade de muco nos seus pulmões que o fez reagir mal ao tratamento. Durante meses, Felicity e Jeremy ouviram a respiração áspera do seu filho e, usaram regularmente uma bomba portátil para ajudar a limpar as suas passagens, com muito pouco sucesso.

A Sra. Shine disse ter realizado uma “operação psíquica”, durante a qual deu um passo para trás e viu “dois pares de mãos espirituais” a assumir o controlo e a colocar tubos na garganta de Alex para bombear o muco. Felicity e Jeremy estavam de pé. Depois de alguns minutos, ouviram a respiração de Alex tornar-se mais repousante.

Isso foi em Abril de 1990 e os seus pulmões continuam livres de muco até hoje. Mais ao momento, Alex, embora paralisado, agora já não é mais um comatoso, mas inexplicavelmente fisicamente apto e saudável, apesar de todos os prognósticos dos médico.

Os médicos de Alex não deram nenhuma explicação para a sua recuperação. Felicity e Jeremy não lhes contaram sobre a Sra. Shine e a cura espiritual.

As opiniões de Felicity e do marido mudaram radicalmente. “Ainda temos dificuldade em acreditar em tudo isso em grande medida”, diz ela, “porque isso simplesmente não pode estar certo. No entanto, aconteceram muitas coisas que você simplesmente não pode duvidar. O meu marido, por exemplo, acha muito difícil aceitar o que aconteceu. Mas, por outro lado, ele não pode negar.

Em um ponto durante uma sessão de cura, Jeremy testemunhou uma luz brilhante em torno da Sra. Shine e Alex. Jeremy estava tão perturbado com o que viu que tinha dificuldade em contar sobre o ocorrido em qualquer pessoa.

“Ele estava confuso e obviamente aborrecido consigo mesmo”, disse Felicity. “Ele pensou que estava a ter alucinações ou algo parecido. Era totalmente estranho que ele fosse capaz de admitir o que ele tinha visto – e certamente falar sobre isso para outras pessoas, inclusive eu.’

Martin O’Collins, produtor de documentários de televisão, observou de perto a Sra. Shine. Depois de fazer um programa sobre poderes psíquicos há vários anos, que incluía um segmento sobre a Sra. Shine, O’Collins saiu como céptico em geral sobre os chamados “praticantes” quando ele embarcou no programa. Mas a Sra. Shine, disse ele, está numa categoria completamente diferente. “Ela é tão sólida e confiável quanto qualquer pessoa que conheci”, disse ele.

À luz da considerável evidência de que ele e a sua equipe investigaram e verificaram rigorosamente, ele conclui que “ela claramente fez algumas coisas bastante notáveis”.

Muitas personalidades conhecidas têm procurado a ajuda da Sra. Shine, entre aqueles que a endossaram publicamente é Michael Bentine. Foi Bentine que encorajou pela primeira vez a Sra. Shine a escrever a sua trilogia de “mente” e apresentou-à a sua editora.

Bentine não tem absolutamente nenhuma dúvida sobre os seus poderes. “Conheci muitos charlatões neste campo que se auto-iludiram”, disse ele. – Posso detectar um charlatão a 14 milhas de distância. Os curandeiros genuínos são tão raros quanto os dentes das galinhas. Betty é genuína.

Pessoalmente, a senhora Shine é certamente credível. Mesmo assim, as surpreendentes histórias que ela escreve e fala de forma tão natural – das suas conversas com os mortos, de visitar “outras dimensões”, de ver “pessoas espirituais” – poderia de fato ser apenas o trabalho de uma imaginação vívida e persuasivo dom de tagarelice ou, na pior das hipóteses, uma mente seriamente desequilibrada.

Realmente resume-se em três opções. Ela está a mentir. Ela é louca. Ela está a dizer a verdade.

Ainda céptico, eu apresentei parte da minha longa entrevista gravada com a Sra. Shine para um psiquiatra sénior de um hospital universitário de Londres. Ele também leu passagens dos seus livros e qual foi a sua avaliação? “Ao ouvi-la falar, ela não é certamente uma louca”, disse ele, ” e nem tem o anel de um charlatão. Ela pode muito bem estar em contacto com a dimensão espiritual, algumas das coisas que ela descreveu seriam difíceis de explicar a menos que você aceitasse as suas explicações.

“Eu não acho que a maioria dos psiquiatras negam esse lado da vida. Afinal, Jung disse a mesma coisa com o “inconsciente colectivo”. Portanto, não é algo que seja desconhecido para a psiquiatria e ciência médica, embora não seja uma questão que geralmente abordam.

“A minha opinião pessoal é que, é possível para as almas humanas, se quiserem, continuar a estar ao redor e possivelmente manifestar-se para certas pessoas, em certos momentos. Esse tipo de fenómeno não é incompatível com a ciência ou com a medicina”.

A Sra. Shine seria a primeira a admitir que não há nada de “outro mundo” ou sobre-humano sobre ela. Ela não é especialmente cuidadosa ou prudente com o que ela diz ou faz: a sua linguagem, muitas vezes terrosa, por exemplo e, declarações ambíguas ou contraditórias ocasionais sugerem um emocionalismo e falibilidade demasiado humano. Mas, essencialmente, ela surge como alguém com uma efervescência cativante, convicção, sabedoria de bom senso e, acima de tudo, um coração genuinamente amável.

Ela escreveu a sua trilogia e explica, porque lhe foi dito através de “mensagens espirituais” que as escrevesse, para transmitir a possibilidade da cura espiritual, mas acima de tudo, para tranquilizar as pessoas que não existe tal coisa como a morte e para dissipar esse medo para que possamos viver mais plenamente.

“A mente e a personalidade não morrem”, disse a Sra. Shine. – Não há sombra de dúvida sobre isso. Viemos aqui para um propósito. E o que não aprendemos ou cumprimos nesta vida, continuamos na próxima.

Em resposta à noção de que o seu motivo para escrever os livros seria simplesmente tentar capitalizar, tanto pessoal como financeiramente, o interesse popular em assuntos psíquicos e astrológicos, ela responde: “Eu sou absolutamente, totalmente e inteiramente sincera em tudo que eu já faço na minha vida.

“Tudo o que eu escrevi, pode ser provado por outras pessoas – não por mim, mas pelas pessoas a quem essas coisas aconteceram. A resposta honesta é que eu senti que todas as experiências que tive – e foi-me dito através de mensagens espirituais – não eram minhas para serem guardadas.

Fonte: 

http://community.humanityhealing.net/group/spiritualism-living-in-two-worlds/forum/topics/betty-shine-spiritual-medium-and-healer

transferir Graciano Constantino oferece tratamentos de Cura Energética. O tratamento pode ser feito pessoalmente ou a distância, normalmente através do Skype ou se preferir basta simplesmente uma foto recente de modo a facilitar a conexão. Actualmente vivendo em Turim – Itália, Graciano dedica uma parte do seu tempo na arte da cura, trabalhando com plantas e também animais. Saiba mais sobre Graciano Aqui

Para saber mais sobre a técnica visite: Cura de Pura Energia 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: