Posts recentes

Cristianismo – Religião Extraterrestre? – Reflexões Sobre Von Daniken e a UFOlogia Bíblica

1494271027331229

Em 1968 um hospedeiro Suíço chamado Erich von Daniken publicou o livro Eram os Deuses Astronautas? que tornou-se num bestseller internacional e permanece em impressão hoje.

De acordo com a teoria sensacionalista de von Danikan, “os astronautas antigos” de uma civilização avançada visitaram a Terra em épocas passadas. Ele encontrou provas da sua presença em esculturas de pedra, artefactos religiosos, mitos antigos e, claro, monumentos megalíticos como as pirâmides de Gizé.

  • Von Daniken de forma provocatória perguntou: Será que Deus conduzia um Disco Voador?

Com esta pergunta plantada na mente mainstream, Deus, anjos e tudo o que era bíblico instantaneamente foi ligado a especulação OVNI, mas von Daniken não explorou essas associações de uma maneira convincente ou consistente.

Um estudo menos conhecido, mas muito mais inteligente, que apareceu no mesmo ano que os Deuses Astronautas, fez exactamente isso.

A Bíblia e os Discos Voadores foi escrito por Barry H. Downing, um pastor presbiteriano com graus do Seminário Teológico de Princeton e da Universidade de Edimburgo. O tema e a profundidade do seu livro reflectem o seu aprendizado, muito longe das brincadeiras cafonas de von Daniken.

Mas este livro também reflecte a fé inabalável do autor na tradição cristã: Downing assume que Deus e os seus anjos, mesmo que sejam ETs que naveguem em UFOs, estão a implementar um plano divino para o benefício da humanidade.

Downing, juntamente com Desmond Leslie, podem ser considerados os fundadores da Ufologia Bíblica, o género de estudos que propõem que muitos eventos na Bíblia reflectem a intervenção extraterrestre, que se presume serem benignas. As visões como as de Ezequiel são consideradas como encontros próximos. Anjos, tais como aquele que anunciou o nascimento de Jesus a Maria, são vistos como alienígenas de uma evolução superior.

Algumas interpretações consideram Jesus um extraterrestre que veio para a Terra de um mundo mais evoluído, ou foi clonado como um “homem modelo” por irmãos espaciais tecnologicamente superiores. Imagine o título, Jesus – O Primeiro Bebê do Criador!

Os UFÓlogos bíblicos acreditam que os alienígenas ou entidades ET agem de uma maneira amável e benevolente para a humanidade, consistente com o cumprimento de um “plano Divino.”

Downing interroga-se se,

“A religião bíblica foi plantada e nutrida por pessoas de outro mundo.”

Ele não apenas especula sobre a presença de “antigos astronautas” na Terra, mas considera o seu possível papel na iniciação e direcção da experiência religiosa da humanidade. Esta questão exige um corte muito mais profundo na psique humana do que von Daniken realizou.

Sem o benefício de materiais gnósticos, Downing foi incapaz de conceber que a religião bíblica,

“Plantada e alimentada por pessoas de outro mundo, não trabalha para a melhoria da humanidade, mas para a sua escravidão”.

A ufologia bíblica está amplamente desenvolvida hoje, mas uma interpretação opcional que não poderia ter surgido até algum tempo depois que Downing e von Daniken escrevessem ainda não foi considerada. Esta opção surge com a visão de intervenção alienígena proposta pelos Gnósticos das Escolas de Mistérios.

Embora alguns dos pontos de vista dos gnósticos possam ser encontrados em argumentos obscuros escritos contra eles pelos primeiros cristãos, o material gnóstico original não estava amplamente disponível até que os códices de Nag Hammadi, descobertos em 1945, foram traduzidos para o inglês em 1978. Os Mistérios foram destruídos no século IV D.C.,, quando o cache de Nag Hammadi foi enterrado, mas sabe-se que existiam antes do Cristianismo há milhares de anos.

Os gnósticos eram psicoterautas de extraordinário alcance e finesse. A sua cosmologia, centrada na figura da Deusa Sophia, apresenta uma descrição completa e coerente da origem e métodos de uma espécie predatória inorgânica chamada Arcontes.

Embora os textos gnósticos descrevam encontros de primeira mão com Arcontes que “abduzem almas de noite”, os seus ensinamentos não enfatizam a ameaça física. Em vez disso, eles alertam que os Arcontes nos afectam mais profundamente em nossas mentes, especialmente através da ideologia religiosa, através de crenças sobre Deus e o que Deus quer para nós.

Para a instrução da Escola do Mistério em enfrentar e repelir os ETs Arconte, veja um catecismo gnóstico e o comentário no primeiro apocalipse de James, texto 9 no plano da leitura de Nag Hammadi.

Uma das ideias mais sensacionais dos gnósticos é que Jeová, o Deus Pai da religião judaico-cristã, era um Arconte, uma divindade inferior ou impostora que não deve ser confundido com os Deuses verdadeiros, chamados Aeons, que habitam o centro cósmico (núcleo galáctico). Diz-se que Jeová é cego e louco, um alienígena demente que, no entanto, tem alguns poderes divinos.

Embora ele não criou o mundo em que vivemos, no entanto ele acredita que sim.

“Abrindo os olhos, o Arconte-chefe viu uma quantidade vasta de matéria sem limites e, ele  tornou-se arrogante, dizendo: ‘Eu sou Deus e, não há outro poder além de mim'”.  (The Reality of the Archons, NHC II, 4, 94.20).

É claro que isso é exactamente o que Yahweh-Jeová diz no Velho Testamento. Várias vezes, os ensinamentos de Mistério preservados no NHC apresenta uma visão da religião judaico-cristã que o transforma completamente de dentro para fora.

Felizmente, o cache de Nag Hammadi, por mais escassa que seja, contém bastante informação clara sobre o Deus Arconte e as suas tácitas insidiosas. No Segundo Tratado do Grande Seth, um Mestre Gnóstico não identificado diz:

“Os Arcontes inventaram um plano sobre mim para libertar o seu erro e o seu absurdo”.

Esta linha recorda o comentário rigoroso de Jacque Vallee sobre as estratégias alienígenas no livro os Mensageiros da Decepção:

“O caminho para a crença de um homem é através da confusão e absurdo.”

O texto citado, explica como os Arcontes induzem um falso plano de salvação na mente humana, uma falsificação do verdadeiro caminho de auto-libertação que podemos conseguir, desenvolvendo o nosso potencial inato de Nous, a “inteligência divina”.

O professor gnóstico, chamado Phoster ou Iluminador, ridiculariza abertamente Abraão, Moisés e os profetas por aceitarem os Arcontes como divinos e acreditar num Deus impostor que trabalha contra a humanidade.

O Segundo Tratado diz que a “doutrina dos alienígenas” é,

“Um grande engano sobre a alma humana, tornando impossível que os seres humanos encontrem Nous, a mente auto-libertadora e, assim conhecer a verdadeira humanidade”.

O que os gnósticos entendiam por “doutrina dos alienígenas” é o conjunto de crenças no âmago da religião judaica e cristã – e, por extensão, do Islão.

Todas as três “grandes religiões do mundo” derivam do reverenciado patriarca Abraão, que acreditava-se ter vivido por volta de 1800 A.C.

Visto que a história dos antigos hebreus é considerada exemplar ou simbólica da humanidade como um todo, a “história sagrada” da nossa espécie começa com Abraão, mas os gnósticos consideravam que Abraão era um engano, o “vetor” psicológico para a intrusão dos Arcontes.

Com efeito, eles destruíram a noção de um “Plano Divino” supervisionado por Jeová e expuseram o salvacionismo judeu-cristão (o Complexo Redentor) como uma religião extraterrestre, estranha à Terra e hostil ao potencial humano.

A crítica gnóstica do Complexo Redentor foi devastadora para as crenças de muitas pessoas e ainda é, mas os professores nos antigos Mistérios não nos deixaram sem alternativas para essas crenças recebidas.

Os gnósticos ensinavam o que eles consagravam: o caminho iluminista do misticismo experimental, contrastando com a crença cega nos dogmas salvacionistas.

Contra a falsidade religiosa dos Arcontes, o Segundo Tratado invoca a “esperança de Sophia”, afirmando a nossa ligação com a Deusa da Sabedoria cujo corpo é a Terra.

Fonte:

http://www.bibliotecapleyades.net/biblianazar/esp_biblianazar_46.htm

transferir Graciano Constantino oferece tratamentos de Cura Energética. O tratamento pode ser feito pessoalmente ou a distância, normalmente através do Skype ou se preferir basta simplesmente uma foto recente de modo a facilitar a conexão. Actualmente vivendo em Turim – Itália, Graciano dedica uma parte do seu tempo na arte da cura, trabalhando com plantas e também animais. Saiba mais sobre Graciano Aqui

Para saber mais sobre a técnica visite: Cura de Pura Energia 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: