Posts recentes

Top 7 Peças de Propaganda Geopolítica Dos Tempos Modernos

geopolitics-1-1 (Copiar)

A propaganda moderna está ao nosso redor. No entanto, as pessoas tornaram-se tão insensíveis que não conseguem mais percebê-la. Muitas pessoas escolhem a ignorância, a complacência ou a apatia para lidar com isso. Muitas vezes, você pode observar grupos que desenvolvem a Síndrome Social de Estocolmo, onde elas imploraram os captores por uma esperança desesperada que, ao fazê-lo, de alguma forma possam mudar as coisas ou aliviar a dor.

O sistema de controlo usa todos os seus tentáculos para manter as pessoas condicionadas num estado de ovelha e inconsciente. É trabalho do político mentir, o trabalho dos principais meios de comunicação social é de programar-te e o trabalho da Big Pharma é de mantê-lo sedado com drogas petroquímicas sintéticas. É uma constante batalha para ampliar e elevar a sua consciência e expandir a sua percepção face a estas forças que procuram aprisionar a humanidade numa percepção limitada de Quem Somos, quem está a governar o mundo, como estão a fazê-lo e como podemos mudá-lo. A propaganda não pertence apenas a Alemanha nazista ou a Rússia soviética. A propaganda moderna está em toda parte; Às vezes subtil, às vezes aberta e, sempre omnipresente.

Com isso em mente, aqui está uma colecção das top 7 peças de propaganda moderna, esta é a primeira parte de uma série de três.

Propaganda Moderna na Geopolítica

1. A guerra Síria é uma guerra civil. Falso. A guerra Síria nunca foi uma guerra civil; É uma guerra de procuração travada por lutadores estrangeiros com ajuda externa. Tornou-se um segredo aberto que o eixo EUA-Reino Unido-Israel, juntamente com os sauditas, criaram ou estão a financiar o ISIS (ou ambos). Continuam a aparecer evidências mostrando que Israel está a pagar rebeldes Sírios e que ISIS obtém os seus armamentos e camiões Toyota dos EUA. Muitos “rebeldes” que lutam contra o governo Sírio de Bashar Al Assad nem sequer são Sírios. Lembre-se do lapso freudiano de Obama quando disse de que “nós estamos a treinar ISIL“?

2. Os EUA estão a lutar contra o ISIS na Síria. Falso. ISIS (também conhecido como Daesh, ISIL, IS) é o animal de estimação Frankenstein da NOM Anglo-Americano-Zionista e é uma criação Norte-Americana. Os EUA não têm nenhum interesse real em derrotar o ISIS – pelo menos não até que o ISIS tenha causado a quantidade máxima de caos projectado para tirar do poder governos legítimos e facilitar a mudança de regime. O verdadeiro alvo sempre foi Assad (em seguida o Irão, depois a Rússia e a China). Há muitas evidências para isso; dois exemplos rápidos são o mantra incessante há alguns anos que “Assad deve ir” (até que os controladores da NOM percebessem que Assad era forte o suficiente para defender a si e a sua nação) e o recente tiroteio da coalizão dos EUA de um jato do SAA (exército árabe sírio ).

3. Todos os refugiados que se deslocam para a Europa são verdadeiros refugiados. Falso. Alguns (ou muitos, dependendo da sua perspectiva), dos refugiados são migrantes económicos. Eles estão a ser ajudados por uma rede de ONGs (por exemplo, financiadas por George Soros) que possui todo um sistema de transporte de migrantes da Líbia para a Itália por dinheiro. É o contrabando de pessoas / tráfico humano. Para o contexto e outras análises, veja o artigo Migração em Massa Para a Europa: Tudo em Linha Com a Nova Ordem Mundial.

4. A intervenção militar dos EUA no exterior nos torna mais seguros. Que grande absurdo! Quando ele concorreu para presidente dos EUA em 2012, Ron Paul fez questão de enfatizar o conceito de efeito bumerangue (em que a CIA havia escrito) em alguns dos seus discursos. O líder trabalhista britânico, Jeremy Corbyn, recentemente teve a coragem de declarar o óbvio na Grã-Bretanha: “Muitos especialistas, incluindo profissionais nos nossos serviços de inteligência e segurança, apontaram as conexões entre as guerras que o nosso governo tem apoiado ou lutado em outros países, como a Líbia e o Terrorismo aqui em casa”. Quando uma nação mais pobre e militarmente menos desenvolvida é escolhida e atacada por uma nação rica e agressiva, o primeiro provavelmente criará ressentimento e um desejo de retaliar no futuro. Muitos Norte-Coreanos ainda odeiam os EUA pelo bombardeio de saturação no esquecimento depois da Segunda Guerra Mundial. Portanto, a intromissão, o assassinato e a invasão estrangeira ocidental fizeram da América o novo “Satanás” e o inimigo # 1 para muitas pessoas ao redor do mundo e tornou-se uma das motivações para ataques à Inglaterra, à França e à Alemanha. Assim, os EUA estão muito mais propensos a serem atacados do que se não tivessem intervindo.

5. O Irão é o maior patrocinador estadual do terrorismo no mundo. Absoluta e completamente falso. Enquanto o Irão pode apoiar o Hamas na Palestina e o Hezbollah no Líbano, o Irão não tem nada na Arábia Saudita, que financia uma rede generalizada de escolas extremistas Wahhabi do Islam (madrases) em todo o mundo. É absolutamente ridículo e além de hipócrita que a Arábia Saudita agora acuse o Qatar de terrorismo. Israel também está por trás de muitos incidentes terroristas “muçulmanos” e “árabes”. Israel e Arábia Saudita agora formam uma aliança sombria – com a ajuda do Império dos EUA, o maior fornecedor de guerra (e terrorismo através do financiamento) que o mundo já conheceu. O governo dos EUA aprendeu os seus truques do governo do Reino Unido, que foram ferramentas nas mãos da Nova Ordem Mundial. Os EUA alternativamente apoiam e depois rejeitam “terroristas” ou combatentes locais em certas áreas (por exemplo, América Central ou Oriente Médio), conforme determinar a agenda NOM. Uma vez que um grupo tenha superado a sua utilidade, a nomenclatura muda de “lutadores / libertadores da liberdade” para “combatentes inimigos / terroristas”.

6. A Rússia é a maior ameaça que o mundo Ocidental enfrenta. Isso não é verdade. Em todo momento, o presidente Russo, Vladimir Putin, continua a insistir que a Rússia não vê os EUA como inimigo, que as duas grandes nações estavam do mesmo lado para ambas as guerras mundiais e que a cooperação mútua é o único caminho a seguir. Os EUA mentiram ignominiosamente após o colapso da União Soviética ao prometer à Rússia que a OTAN não se expandiria para o leste – e, entretanto, continua a adicionar inúmeras nações da Europa Oriental e Central à sua aliança, como a Polónia, a Hungria e a República Checa (1999), depois a Bulgária, Estónia, Letónia, Lituânia, Roménia, Eslováquia e Eslovénia (2002-2004), Albânia e Croácia (2009) e Montenegro (2017). A Russofobia é uma conveniente ferramenta política para justificar a OTAN, assustar as pessoas e permitir maiores orçamentos militares domésticos nos países ocidentais. É também um bode expiatório útil para os democratas usarem na tentativa de explicar a perda eleitoral da incrível Hillary Clinton corrupta. Trump viu a verdade óbvia de que é melhor para todos se os EUA e a Rússia se dessem bem – antes que o Estado Profundo o aprisionasse.

7. Israel está apenas a defender-se. Falso. Israel atacou os seus vizinhos, mesmo antes de conquistar o estatuto oficial em 1948, atacou o Egipto para iniciar a Guerra dos 6 dias em 1967, atacou o Líbano em 1982 e conquistou a terra Palestina desde a sua criação. Não há nada de “defensivo” sobre a agressão nua e crua. A verdade é que o Sionismo é um empreendimento colonial. Veja as citações dos primeiros Sionistas como Ze’ev Jabotinsky, um dos principais homens por trás da forma expansionista, militarista e anti-árabe do nacionalismo Israelense que agora domina o Partido Likud e a política Israelense. Dê uma olhada no que Jabotinsky, bem como os ex-primeiros ministros israelenses, David Ben Gurion e Ariel Sharon, disseram sobre o Sionismo e o fato de estar intimamente ligado ao colonialismo, à expulsão e à expropriação:

“A colonização Sionista deve ser encerrada ou realizada contra os desejos da população nativa. Esta colonização pode, portanto, ser contínua e fazer progressos apenas sob a protecção de um poder independente da população nativa – uma parede de ferro, que estará em condições de resistir à pressão da população nativa. Esta é a nossa política em relação aos Árabes …”~ Vladimir Jabotinsky 

“Vamos expulsar os Árabes e tomar o seu lugar. Em cada ataque, deve ser feito um golpe decisivo resultando na destruição de casas e na expulsão da população.”~ David Ben Gurion, primeiro-ministro de Israel, 1949-1954, 1955-1963. 

“Não há Sionismo, colonização ou estado judeu sem a expulsão dos Árabes e a expropriação das suas terras”. Ariel Sharon.

Conclusão: A Propaganda Geopolítica dos Dias de Hoje é Frequente

A propaganda moderna na esfera da geopolítica é perigosamente generalizada. Com as pessoas a acreditar em mentiras, distorções e na desinformação listadas acima, o conflito e a guerra são muito mais prováveis de serem iniciados. Fique atento na segunda parte deste artigo.

 

Fonte

http://www.wakingtimes.com/2017/06/21/top-7-pieces-modern-day-geopolitical-propaganda/

transferir Graciano Constantino oferece tratamentos de Cura Energética. O tratamento pode ser feito pessoalmente ou a distância, normalmente através do Skype ou se preferir basta simplesmente uma foto recente de modo a facilitar a conexão. Actualmente vivendo em Turim – Itália, Graciano dedica uma parte do seu tempo na arte da cura, trabalhando com plantas e também animais. Saiba mais sobre Graciano Aqui

Para saber mais sobre a técnica visite: Cura de Pura Energia 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: