Posts recentes

Rituais De Sangria Maia – Antigo Sacrifício Para Falar Com os Deuses

maya05_01_small.v1.JPG

A sangria – cortar parte do corpo para libertar sangue – é um antigo ritual usado por muitas sociedades mesoamericanas.

Para os antigos maias, os rituais de sangria (chamados ch’ahb ‘nos hieróglifos sobreviventes) constituíam uma forma de os nobres maias comunicarem-se com os deuses e ancestrais da realeza.

A palavra ch’ahb ‘significa “penitência” na língua maia cholano e, pode estar relacionada à palavra yukatekan ch’ab’, que significa “gotejador/conta-gotas”.

Esta prática era geralmente realizada por nobres através da perfuração das suas próprias partes do corpo, principalmente, mas não apenas língua, lábios e genitais.

Homens e mulheres praticavam esses tipos de sacrifícios.

Ritual de sangria, com

  • Jejum
  • Tabagismo
  • Enemas rituais,

… foi perseguido pelos maias reais a fim de provocar um estado de transe e visões sobrenaturais e, portanto, comunicar-se com ancestrais dinásticos ou deuses do submundo.

Locais e Ocasiões de Sangria

Os rituais de sangria eram geralmente realizados em datas significativas e eventos do estado, como no início ou no final de um ciclo de calendário; quando um rei fosse coroado; e na construção de dedicatórias.

Outras etapas importantes da vida dos réis e rainhas, como nascimentos, mortes, casamentos e guerras, também foram acompanhadas de derramamento de sangue.

Os rituais de sangria eram geralmente realizados em particular, dentro de salas de templo isoladas no topo das pirâmides, mas cerimónias públicas eram organizadas durante esses eventos e as pessoas podiam assistir, lotando a praça na base da pirâmide.

Essas exibições públicas foram usadas pelos governantes para demonstrar a sua capacidade de se comunicar com os deuses, a fim de obter conselhos sobre como equilibrar o mundo dos vivos e garantir os ciclos naturais das estações e estrelas.

Um interessante estudo estatístico feito por Munson e colegas (2014) descobriu que as referências à sangria nos monumentos maias e em outros contextos são predominantemente de um punhado de locais ao longo do rio Usumacinta na Guatemala e nas terras baixas do sudeste maia.

A maioria dos glifos ch’ahb conhecidos são de inscrições que se referem a declarações antagónicas sobre guerra e conflito.

Ferramentas de Sangria

Perfurar as partes do corpo durante os rituais de sangria envolveu o uso de objectos pontiagudos como

  • Lâminas de obsidiana
  • Espinhos de arraia
  • Ossos entalhados
  • Perfuradores
  • Cordas atadas

Os equipamentos também incluíam papel de casca para recolher um pouco do sangue e incenso de copal para queimar o papel manchado e provocar fumaça e odores pungentes.

O sangue também era recolhido em recipientes feitos de cerâmica ou cestaria. Pacotes de tecido provavelmente eram usados ​​para transportar todo o equipamento.

Os espinhos de arraia eram definitivamente uma ferramenta primária usada na sangria maia, apesar ou talvez por causa dos seus perigos.

As espinhas de arraia contaminadas contêm veneno e o seu uso para perfurar partes do corpo teria causado muita dor e, talvez incluísse efeitos deletérios variando de infecção secundária a necrose e morte.

Os maias, que regularmente pescavam arraias, sabiam tudo sobre os perigos do veneno das arraias.

Pesquisadores Haines e colegas (2008) sugerem que é provável que os maias tenham usado espinhos de arraia que foram cuidadosamente limpos e secos; ou reservá-los para actos especiais de piedade ou em rituais onde referências à necessidade de arriscar a morte eram um factor importante.

Imagens de sangria

Evidências de rituais sanguíneos vêm principalmente de cenas que retratam figuras reais em monumentos esculpidos e vasos pintados.

Esculturas de pedra e pinturas de locais maias, como Palenque, Yaxchilan e Uaxactun, entre outros, oferecem exemplos dramáticos dessas práticas.

O sítio maia de Yaxchilan, no estado de Chiapas, no México, oferece uma galeria particularmente rica de imagens sobre rituais de sangria.

Numa série de esculturas em três lintéis de porta deste site, uma mulher da realeza, Lady Xook, é retratada a realizar sangria, perfurando a sua língua com uma corda com nó e, provocando uma visão de serpente durante a cerimónia de ascensão ao trono do seu marido.

Fonte:

https://www.bibliotecapleyades.net/arqueologia/maya05.htm

Leitura Psíquica Com Graciano Constantino

Para mais informações e marcações clique AQUI

c700x420.v1

Graciano..jpg Graciano Constantino oferece tratamentos de Cura Energética. O tratamento pode ser feito pessoalmente ou a distância, normalmente através do Skype ou se preferir basta simplesmente uma foto recente de modo a facilitar a conexão. Actualmente vivendo em Turim – Itália, Graciano dedica uma parte do seu tempo na arte da cura, trabalhando com plantas e também animais. Saiba mais sobre Graciano Aqui

Para saber mais sobre a técnica visite: Cura de Pura Energia

 

Anúncios

1 Comment on Rituais De Sangria Maia – Antigo Sacrifício Para Falar Com os Deuses

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: