Posts recentes

Dick Cheney E A “Resistência” Neocon

shutterstock_107738453-e1593287715217

Os republicanos do establishment estão no caminho da guerra. Eles estão determinados, em uníssono com os democratas “acordados”, a livrar-se de Donald Trump em Novembro. Em 2019, vários desses republicanos formaram o chamado “Projecto Lincoln”, um esforço organizado para descartar Trump e apoiar Joe Biden, demonstrando mais uma vez que há muito pouca diferença entre republicanos e democratas.

Em 27 de Junho, Darth Vader dos neocons, ex-vice-presidente e criminoso de guerra Dick Cheney, juntou-se ao establishment de “resistência” à reeleição de Trump.

dick

Dick Cheney …. bem-vindo à resistência.

O Projecto Lincoln afirma que trabalhará para derrotar Trump e restaurar a Constituição. Se o último for verdade, por que diabos os republicanos receberam Cheney, imbecil da Constituição, no partido? Além de encher o Pentágono com os primeiros neocons de Israel e iniciar as desastrosas guerras no Afeganistão e no Iraque, Cheney reivindicou poderes especiais sob o executivo unitário, uma teoria que “afirma que toda autoridade executiva deve estar nas mãos do presidente, sem excepção.”

Além disso, Cheney proclamou o escritório do vice-presidente como uma “quarta filial” do estado que não responde ao povo Americano.

“Cheney tentou aumentar o poder executivo com uma série de acções ousadas – algumas tão audaciosas que até os conservadores da Corte Suprema, que simpatizavam com a visão de Cheney, os rejeitaram como exageros”, escreveu Dana Milbank em 2004 para o jornal The Washington Post. “Muitas das restrições à autoridade executiva – a lei das potências de guerra, a legislação anti-represamento, o veto legislativo e o estatuto do advogado independente – já desapareceram ou tornaram-se insignificantes.”

O Projecto Lincoln “está a responsabilizar aqueles que violariam os seus juramentos à Constituição e colocariam outros perante os Americanos”, segundo o seu site.

joe

Infelizmente, Cheney nunca foi responsabilizado pelas suas violações constitucionais, principalmente pela engenharia de uma guerra nas costas do Congresso e do povo Americano, uma guerra baseada em mentiras e falsificações. A sua inclusão zomba dos supostos princípios do Projecto Lincoln:

As nossas muitas diferenças políticas com os democratas nacionais permanecem. No entanto, a prioridade para todos os Americanos patrióticos deve ser uma fidelidade compartilhada à Constituição e um compromisso de derrotar os candidatos que abandonaram os seus juramentos constitucionais, independentemente do partido. Eleger os democratas que apoiam a Constituição em vez dos republicanos que não o fazem é um esforço digno.

A “fidelidade compartilhada à Constituição” não se aplica a Cheney e os seus neoconspiradores.

É interessante que os republicanos anti-Trump decidiram usar Abraham Lincoln como mascote. Ele era um violador em série da Constituição. “Lincoln encarregou-se de redefinir arbitrariamente a traição, não alterando a Constituição, mas usando força militar bruta”, escreve Thomas DiLorenzo.

A sua nova definição era qualquer crítica a si mesmo, ao seu governo e as suas políticas. Ele suspendeu ilegalmente os mandados de Habeas Corpus (ilegal segundo o próprio procurador-geral, Robert Bates) e fez com que o exercito prendesse sem o devido processo, dezenas de milhares de cidadãos do norte do estado, incluindo editores de jornais, a legislatura de Maryland, o prefeito de Baltimore, o neto de Francis Scott Key, editor do jornal de Baltimore, o congressista Clement L. Vallandigham, de Ohio, o seu principal crítico no Congresso dos EUA e essencialmente qualquer um que criticasse o governo.

Lá se foi a Primeira Emenda e o habeas corpus.

O estabelecimento lida com a ilusão e a decepção. A verdadeira história de Lincoln – o seu racismo, a sua conexão com grandes negócios, magnatas das ferrovias e interesses do dia, a sua indiferença ao sofrimento que a sua guerra criou – está enterrada sob o mito de Lincoln, uma história fictícia de um homem corajoso que emancipou e libertou os escravos (nunca mencionado: ele queria deportar ex-escravos).

O Presidente Abraham Lincoln liderou os Estados Unidos durante o seu período mais sangrento, mais divisivo e decisivo da nossa história. Ele lutou não porque queria, mas porque sabia que os objectivos duplos de preservar a União e o fim da escravidão seriam alcançados apenas através de conflitos armados.

Deixado de lado esse patriotismo desigual, é o direito do povo de separar-se de um governo central corrupto e exercer o direito de autodeterminação e, o direito de um povo de estabelecer o seu próprio governo, conforme estabelecido na Declaração de Independência.

Os Republicanos e Democratas já não acreditam em princípios e leis constitucionais. Eles insistem que os Estados Unidos são uma democracia, não uma república constitucionalmente limitada, como originalmente previsto. Numa democracia, o estado propagandiza o povo para obter consenso.

“O presidente Donald Trump e os que assinam o Trumpismo são um perigo claro e presente para a Constituição e para a nossa República”, argumenta o Projecto Lincoln. “Somente derrotando um personagem tão polarizador como Trump permitirá ao país curar as suas feridas políticas e psicológicas e permitir um novo e melhor caminho a seguir para todos os Americanos”.

Trump foi eleito com a crença equivocada de que puniria as criaturas corporativas e bancárias do pântano e devolveria a América ao estado de direito. Ele prometeu acabar com as guerras ilegais e imorais. Trump disse que iria auditar o Federal Reserve. Ele não fez nada disso e, francamente, a sua incapacidade de fazer qualquer coisa, além de estimular o seu próprio ego grotesco e narcisista, ficou óbvio durante e muito antes da campanha.

Joe Biden, 77 anos, é o candidato perfeito para o establishment. A sua demência invasiva e ignorância da Constituição e da Declaração de Independência, juntamente com o seu comportamento inadequado em torno de crianças e mulheres, não são um problema para a elite dominante.

Nem mesmo a sua ameaça do governo Obama obter um bilião de dólares em garantias de empréstimo para a Ucrânia se não demitisse imediatamente o procurador-geral Viktor Shokin – na época investigando o filho de Biden, Hunter, por negócios corruptos enquanto estava na empresa de gás natural Burisma Holdings – descarrilará a trajectória de Biden até a Casa Branca.

O objectivo principal é a remoção de Donald Trump, um magnata de hotel e apresentador de reality show, incompetente e mentalmente perturbado, ingenuamente eleito para a presidência de Americanos enfastiados e cansados ​​da corrupção do governo. Ao fazer isso, os dois lados da classe política unilateral do establishment corporativo estão a pressionar por um candidato igualmente incompetente e imperfeito para derrotar Trump.

Mas isso não importa, desde que Joe ainda possa ler um teleprompter.

Fonte:

https://davidicke.com/2020/06/28/dick-cheney-and-the-neocon-resistance/

Leitura Psíquica Com Graciano Constantino

Para mais informações e marcações clique AQUI

c700x420.v1

Graciano..jpg Graciano Constantino oferece tratamentos de Cura Energética. O tratamento pode ser feito pessoalmente ou a distância, normalmente através do Skype ou se preferir basta simplesmente uma foto recente de modo a facilitar a conexão. Actualmente vivendo em Turim – Itália, Graciano dedica uma parte do seu tempo na arte da cura, trabalhando com plantas e também animais. Saiba mais sobre Graciano Aqui

Para saber mais sobre a técnica visite: Cura de Pura Energia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: