Posts recentes

Projecto De Lei Que Torna Ilegal Microchipar À Força Funcionários Passa Na Câmara De Michigan

microchip-tmu-1024x576

Os legisladores de Michigan aprovaram uma lei que torna ilegal que os empregadores forcem os seus trabalhadores a serem etiquetados com microchips, numa tentativa de impedir preventivamente as empresas que procuram tornar obrigatório o uso de dispositivos de rastreamento de produtividade.

A Michigan House aprovou o projecto na quarta-feira, o que tornaria a aceitação voluntária dos implantes de microchip, informa o WJRT.

A decisão foi tomada quando um número crescente de empresas explora a ideia de usar os microchips de identificação por radiofrequência (RFID) do tamanho do arroz como substituto de cartões de ponto, crachás de identificação e dispositivos de autorização de segurança.

Os chips podem ajudar a tornar um pouco mais fácil a entrada no escritório, aceder o computador ou comprar alimentos e bebidas no refeitório.

Mas também podem ser usados ​​para garantir que os trabalhadores estejam fisicamente no trabalho de acordo com os desejos da gerência para maximizar a eficiência.

“A forma como a tecnologia aumentou ao longo dos anos e à medida que continua a crescer, é importante que os provedores de emprego de Michigan equilibrem os interesses da empresa com as expectativas de privacidade dos seus funcionários”, disse a deputada republicana do estado Bronna Kahle, que patrocinou o projecto.

Embora os dispositivos RFID ainda não tenham sido amplamente utilizados, Kahle e outros acreditam que poderiam tornar-se a norma em estados como Michigan nos próximos anos.

“Enquanto esses dispositivos em miniatura estão em alta, o mesmo ocorre com os pedidos dos trabalhadores para que a sua privacidade seja protegida”, disse Kahle.

Os microchips têm sido a base de várias conspirações que alegam que o governo planeia implantar chips de rastreamento na população, levando a um tipo de cenário semelhante ao romance distópico de George Orwell, 1984.

No entanto, o projecto de lei de Michigan reflecte preocupações de longa data sobre o sector privado, usando métodos de alta tecnologia – juntamente com um crescente conjunto de tecnologias de vigilância no local de trabalho – para corroer a privacidade dos funcionários.

Os microchips de RFID são usados ​​há muito tempo por todos, desde bibliotecas a escolas, governos e sector privado, para identificar e rastrear a localização física dos itens nos quais as etiquetas estão incorporadas.

E, embora os RFIDs forneçam um meio barato e conveniente de rastrear o estoque e impedir que as matérias-primas sejam mal utilizadas, extraviadas ou roubadas, elas têm sido cada vez mais usadas para rastrear pessoas e acompanhar as suas actividades – ou inactividades – no local de trabalho.

E enquanto os estados consideram a reabertura e permitem que os locais de trabalho retomem funções sob o “novo normal” da pandemia COVID-19 em andamento, algumas empresas como a Engineering têm promovido o uso de sensores RFID como uma solução eficiente e acessível para manter os padrões físicos de distanciamento.

A tecnologia RFID também foi usada em locais de alto risco, como plataformas de petróleo, onde foram usadas para determinar se os trabalhadores foram evacuados ou como os cenários de evacuação são formulados.

Mas os especialistas alertaram que a segurança das informações armazenadas no chip também pode ser facilmente comprometida, com esses dados, incluindo as idas e vindas dos funcionários, as suas rotinas diárias fora do trabalho, bem como com quem alguém que usa o chip interagiu.

E com empresas como a Amazon sendo cada vez mais criticadas pelo uso de tecnologia de vigilância e dispositivos de rastreamento de produção para transformar os seus trabalhadores em “robôs humanos” trabalhando ao lado de robôs reais, permanecem preocupações sobre os efeitos desumanizadores que esses dispositivos de economia de trabalho podem ter sobre os trabalhadores.

Fonte:

Bill Making It Illegal to Forcefully Microchip Employees Passes in Michigan House

Leitura Psíquica Com Graciano Constantino

Para mais informações e marcações clique AQUI

c700x420.v1

Graciano..jpg Graciano Constantino oferece tratamentos de Cura Energética. O tratamento pode ser feito pessoalmente ou a distância, normalmente através do Skype ou se preferir basta simplesmente uma foto recente de modo a facilitar a conexão. Actualmente vivendo em Turim – Itália, Graciano dedica uma parte do seu tempo na arte da cura, trabalhando com plantas e também animais. Saiba mais sobre Graciano Aqui

Para saber mais sobre a técnica visite: Cura de Pura Energia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: