Posts recentes

O Maior Experimento Já Visto, E Somos Todos Cobaias

QUAL das alternativas a seguir é a abordagem mais razoável que uma sociedade pode adotar no início de uma epidemia?  

  • Colocar os doentes em quarentena e tomar precauções razoáveis ​​para impedir que aqueles que são identificados como vulneráveis ​​contraiam a doença.
  • Tentar ‘controlar o vírus’ evitando que milhões de pessoas saudáveis ​​tenham contato com outras pessoas saudáveis.

Para qualquer sociedade antes de 2020, teria sido óbvio que a primeira abordagem não é apenas lógica e proporcional, mas a menos provável de ter outras consequências indesejadas e altamente destrutivas. No entanto, para o meu espanto contínuo, muitas pessoas na nossa sociedade não apenas acreditam que a resposta é a segunda, mas de alguma forma acreditam que ela se baseia na ciência estabelecida.

Agora, eu entendo que muitos dos que apoiam o confinamento farão objeções à minha caracterização da sua posição. Eles dirão que é deliberadamente enganosa, uma vez que fala sobre pessoas saudáveis ​​e não menciona os enfermos. Tais objeções fundam, no entanto, neste fato inegável: os confinamentos são, por sua natureza, uma abordagem totalmente não direcionada e indiscriminada para uma questão de saúde, e a proibição por lei de milhões de pessoas saudáveis ​​de terem contato com outras pessoas saudáveis ​​é uma característica, não é um erro de uma política que não foi experimentada e testada antes de ser implementada pela primeira vez pelo Partido Comunista Chinês em Janeiro do ano passado, que foi logo em seguida copiada por muitos governos ao redor do mundo.

Por alguma razão, muitas pessos pro confinamento parecem pensar que a responsabilidade recai sobre os oponentes em refutar a sua posição. Mas, como o Dr. Malcolm Kendrick aponta no seu excelente artigo “O Confinamento Funciona Ou Não?” isso é o oposto de como as coisas deveriam funcionar:

“O ponto de partida, para qualquer hipótese científica, é para os proponentes refutarem a hipótese nula. Exigir que aqueles que acreditam que algo pode não funcionar, provem que não funcione, é virar o método científico de cabeça para baixo. Você nunca pode provar uma negativa.’

Mesmo assim, ele continua a apontar que a maioria dos países com o maior número de mortes por milhão são aqueles que tiveram confinamentos muito rígidos e, portanto, os dados até agora certamente não mostram que os confinamentos são eficazes, mesmo em seus próprios termos. Claro que a lógica covidiana sempre tem uma resposta para isso, afirmando que esses confinamentoss não eram reais. Eram muito pequenos, implementados muito tarde, muito macios, muito tolerantes, muito curtos, muito pequenos, muito roxos ou algo assim! Mas eles nunca podem estar errados. Baixas taxas de mortalidade mostram que eles funcionam. As altas taxas de mortalidade mostram que eles teriam funcionado se as pessoas não fossem más.

Mas o ponto principal que desejo enfatizar sobre eles é que não são algo que foi proposto, estudado ou testado antes, mas é uma prática inteiramente nova, imposta ao mundo pela primeira vez em 2020. O que significa o quê? Isso significa que eles são um experimento em tempo real. Isso significa que a nossa sociedade (assim como muitas outras) foi, durante o último ano, e continuará a ser no futuro previsível, sujeita a uma experiência. Na verdade, o maior experimento psicológico, social alguma vez realizado.

Quando uso esse tipo de linguagem, tende a atender a seguinte resposta de zombaria: “Então você afirma que é tudo uma conspiração em massa? Quem é o mestre das marionetes, então? Essa não é a questão. Não é preciso um Senhor das Trevas para que seja um experimento, embora tenha que ser dito que pessoas como o Professor Schwab parecem interessadas em se apresentar como candidatos. Não, é simplesmente por definição um experimento psicológico, social e económico pela própria natureza do fato de que a quarentena em massa e o uso de mascara em massa de milhões de pessoas, que não podem deixar de mudar a psicologia, a sociedade e a economia, são métodos não experimentados, não testados, baseados apenas em hipóteses, e não em dados concretos. Os dados ainda continuam a surgir desse enorme experimento, mas, como diz o Dr. Kendrick, não parece realmente bom para a hipótese: “Eu concluiria que os estudos observacionais tinham – até agora – falhado em recusar a hipótese nula. Na verdade, as evidências até agora podem sugerir que os confinamentos podem realmente aumentar a taxa de mortalidade. Em suma, eu procuraria outra ideia.

A experimentação psicológica, social e económica não é de forma alguma o fim disso. Passamos agora para a experimentação médica, pela qual quero dizer a doação das chamadas “vacinas” para milhões de pessoas (assim chamados porque eles realmente não impedem as pessoas de apanhar o vírus, e ainda não se sabe se eles impedem a transmissão).

Incrivelmente, se você olhar para o Teste de Estudo Clínico da Pfizer BioNTech SE Estudo clínico no banco de dados da Biblioteca Nacional de Ensaios Clínicos da Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA, perceberás algo muito estranho, isto é, que a Data estimada de conclusão do estudo é 31 de Janeiro de 2023. Esta é “a data em que o último participante de um estudo clínico será examinado ou receberá uma intervenção/tratamento para coletar dados finais para as medidas de desfecho primário, medidas de desfecho secundário e eventos adversos”.

Em outras palavras, os efeitos colaterais de médio e longo prazo deste produto não podem ser conhecidos, porque o estudo ainda está em andamento. O longo e curto, como o professor Sucharit Bhakdi aponta nesta excelente entrevista (assista logo antes que os guardiões do YouTube apaguem) é o seguinte: cada pessoa que recebe essas vacinas é, na verdade, um sujeito de teste involuntário no maior experimento médico já realizado, tendo sido solicitado a dar o seu consentimento para receber um produto injetado em seu corpo sem ser devidamente informado sobre o status do produto.

Simplificando, nem aqueles que administram essas vacinas nem aqueles que as recebem podem ter qualquer ideia das potenciais consequências de médio a longo prazo dessas coisas, porque as empresas que os produzem não concluíram os estudos sobre elas. E não, não é a marca de um anti-vacina (que eu não sou) estar profundamente preocupado com isso; é a marca de ter as suas faculdades críticas em ordem de trabalho e de preocupar-se com o que está a ser feito com as pessoas – chama-se Amar o teu próximo como a ti mesmo.

Em resumo, tanto os confinamentos quanto as “vacinas” são essencialmente um experimento em massa sobre a humanidade. As consequências a médio e longo prazo de ambos são totalmente desconhecidas. As gerações futuras se maravilharão com a forma como as autoridades foram capazes de fazer isso, mas se maravilharão ainda mais com a forma como milhões de pessoas concordaram. Nada disso pode ser bom. Precisamos nos humilhar e observar o que estamos a fazer, ou permitir que nos seja feito, como uma questão de extrema urgência.

Fonte:

https://www.conservativewoman.co.uk/the-largest-experiment-ever-seen-and-were-all-guinea-pigs/

Leitura Psíquica Com Graciano Constantino

Para mais informações e marcações clique AQUI

c700x420.v1

Graciano..jpg Graciano Constantino oferece tratamentos de Cura Energética. O tratamento pode ser feito pessoalmente ou a distância, normalmente através do Skype ou se preferir basta simplesmente uma foto recente de modo a facilitar a conexão. Atualmente vivendo em Turim – Itália, Graciano dedica uma parte do seu tempo na arte da cura, trabalhando com plantas e também animais. Saiba mais sobre Graciano Aqui

Para saber mais sobre a técnica visite: Cura de Pura Energia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: